Mulheres representam só 19,5% do secretariado dos municípios

Regina Mesquita comanda a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana (Suseli Honório/Secom)

​Segundo o Mapa Mulheres na Política 2019, um relatório da Organização das Nações Unidas e da União Interparlamentar, no ranking de representatividade feminina no governo, o Brasil ocupa apenas a posição 149 em um total de 188 países.
A gestão de Jair Bolsonaro tem somente 9% de representatividade feminina, com apenas duas mulheres entre os 22 ministros. A média mundial é de 20,7%.

Na região, a situação não é diferente. De acordo com um levantamento realizado pela reportagem, na quinta-feira (28), junto aos sites das prefeituras, dos 41 cargos de primeiro escalão nos paços de Barueri e Santana de Parnaíba, só oito são comandados pelo público feminino, sendo quatro em cada cidade.

Em Barueri, o prefeito Rubens Furlan (PSDB) confiou a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana, uma das que tem maior demanda da população, à Regina Mesquita, que conquistou bons índices de segurança em relação ao país e a região. As pastas de Administração, Assistência e Desenvolvimento Social e da Mulher têm à frente, respectivamente, Cilene Bittencourt, Adriana Molina e Giani de Souza.

A cidade de Parnaíba, administrada por Elvis Cezar, tucano, possui também quatro mulheres ocupando cargos de secretárias. São elas: Marcela Cristiane Pupin (Habitação), Fátima Muro (Cultura e Turismo), Veruska Carvalho (Meio Ambiente e Planejamento) e Verônica Mutti C Teixeira Koishi (Negócios Jurídicos). 

Apesar do município contar com a Secretaria da Mulher, a pasta não aparece no site, o gestor também não chegou a nomear ninguém oficialmente para comandar a função. As ações são desenvolvidas, geralmente, pela sua esposa e primeira-dama Selma Cezar.
Nas Câmaras Municipais, o cenário se repete. Barueri não possui nenhuma representante feminina no legislativo. Em Santana de Parnaíba, há apenas duas vereadoras, Sabrina Colela (PSC), que ocupa a vaga de 1ª secretária da casa e a Enfermeira Nelci (SD).

Parlamento
O parlamento brasileiro aparece na posição 134 de 193 países pesquisados, com 15% de participação de mulheres. São 77 deputadas em um total de 513 cadeiras na Câmara, a deputada federal Bruna Furlan (PSDB) é uma delas, e somente 12 senadoras entre os 81 eleitos.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 11 Dezembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário