Economia

Vacinação lenta faz empresários adiarem planejamento estratégico

Economia

Vacinação lenta faz empresários adiarem planejamento estratégico

Governo suspendeu fase vermelha; ACIB e SinHoRes comentam cenário dos segmentos que representam 

Restaurantes e bares têm funcionado com capacidade de atendimento reduzida (Pixabay)
Na terça-feira (3), o governador João Doria anunciou a suspensão da fase vermelha em todo o estado aos finais de semana. A medida, que foi adotada no final de janeiro como forma de combater a alta de casos da Covid-19 em São Paulo, estava prevista para até o próximo dia 7.

A decisão envolve uma melhora nos indicativos de novos casos e, principalmente, de internações em leitos primários e de UTI´s no estado. Esse recuo permite que as atividades de final de semana sejam retomadas. 

O anúncio garantiu um "fôlego" aos empresários e comerciantes de Barueri e região, que agora poderão voltar a operar aos finais de semana, mas ainda com horário reduzido.

Apesar disso, o presidente da Associação Comercial de Barueri (ACIB), Moacyr Fellix, disse que não há como fazer planos estratégicos por conta da incerteza e demora da imunização. "Não conseguimos consolidar ações externas porque não temos um planajemanto do Estado, uma garantia. Não sabemos o que estará aberto ou não na próxima semana, por exemplo. O ritmo que está as vacinas não deixa um horizonte longo", explicou.

Para tentar alavancar os negócios, a ACIB está elaborando um plano interno. Junto à Prefeitura está sendo pleiteado um ofício para o reparcelamento de impostos municipais, além de um novo site com foco em marketplace, segundo Moacyr.

Mudança de fase
O SinHoRes Osasco - Alphaville e Região (Sindicato Empresarial de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares) comemorou a suspensão da fase vermelha do Plano São Paulo. Apesar disso, o cenário é preocupante; das 20.000 empresas, cerca de 20% encerraram as atividades, segundo o sindicato. 

O presidente do Sindicato, Edson Pinto, que também representa a Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de São Paulo (FHORESP), disse que o governador atendeu ao pedido da categoria após uma reunião e ofício entregue pela entidade.

Entre as conquistas da categoria, suspensão dos cortes por falta de pagamento de Água e Gás, até 30 de março e parcelamento dos débitos, em até 12 meses; R$ 125 milhões de crédito serão oferecidos, exclusivamente para setores do Turismo, Eventos, Bares e Restaurantes.

"Uma das causas dessa rápida reversão por parte do governo, sem dúvida foi a ação do SinHoRes, em parceria com ACIB - Associação Comercial de Barueri e o Sincomercio", concluiu Edson. 

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 05 Março 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/