Segunda, 25 Outubro 2021

Cidades

Procura por programas de intercâmbio aumenta na região

Cidades

Procura por programas de intercâmbio aumenta na região

Em contrapartida, as vendas deste tipo de serviço ainda não estão aquecidas

Bruno embarca para San Diego em maio de 2020 (Foto: arquivo pessoal)
Uma pesquisa feita pela Brazilian Educational & Language Travel (Belta), associação de agências de intercâmbio, mostrou que a quantidade de intercambistas no Brasil cresceu 20% e o mercado brasileiro de educação internacional avançou 20,46% em 2018. Não à toa que, só no último ano, cerca de 300 mil estudantes fecharam pacotes em agências para fazer o tão sonhado intercâmbio.

Este cenário também reflete em Alphaville. Segundo Bruno Tamazato, gerente da agência EF Education First, a procura por programas deste tipo já aumentou este ano, e o público-alvo na região ainda são os jovens. "Nosso foco são, principalmente, os intercâmbios acadêmicos, em que as pessoas vão a outro país para estudar. Os locais mais procurados são Canadá, Estados Unidos e Inglaterra, mas tem surgido outros países nesta lista como a Coreia do Sul, lugar que está ganhando adeptos, principalmente, pela febre dos Kpops, música popular coreana", contou à Folha de Alphaville.

É o caso da estudante Beatriz Branco Daleffe, moradora da região. Ela voltou da Coreia do Sul no começo deste ano, onde foi aprender a língua nativa. "Tenho uma forte conexão com a cultura asiática, já que a minha madrinha é japonesa. Então, comecei estudando japonês na verdade, mas fui despertando interesse pela língua coreana e foi quando decidi que iria viajar para começar a estuda-la". 

Ela ressaltou o que mais a agradou. "Fiquei muito encantada com as pessoas, o respeito e a gentileza, além da organização e limpeza dos lugares. Aprendi muito com eles e a realidade de lá superou minhas expectativas", avaliou. 

Em maio do ano que vem, o morador de Alphaville, Bruno Camargo Zurlini, 28 anos, embarcará para San Diego, nos Estados Unidos. Ele decidiu fazer um intercâmbio para aprimorar o inglês."Trabalho com comércio exterior e sempre estou em contato com fornecedores e clientes de todo o mundo. Acredito que esta é a maneira mais rápida e divertida para evoluir o idioma. Além disso, sempre tive vontade de estudar fora e conhecer novas culturas e lugares", afirmou.

Vendas

Em contrapartida, as vendas de intercâmbios ainda não estão aquecidas. "As pessoas ainda estão cautelosas por conta da situação do país, mas nossa expectativa é que o segundo semestre seja melhor", revela Bruno. 

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 25 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/