Política

Doria exclui região de reabertura do comércio e prefeitos se irritam

Política

Doria exclui região de reabertura do comércio e prefeitos se irritam

Com indicadores piores que o da Grande SP, capital poderá iniciar retomada a partir de 1° de junho 

Gestores foram ao Palácio dos Bandeirantes. (Foto: Divulgação)

Diversos prefeitos da Região Oeste mostraram descontentamento com a decisão do governador João Doria (PSDB) de permitir que a cidade de São Paulo seja a única da região metropolitana a iniciar a reabertura do comércio a partir do dia 1° de junho. 

Pelo plano de Doria, anunciado na quarta-feira (27), cada região só poderá começar a retomar as atividades econômicas se tiver bom desempenho em alguns indicadores, como a taxa de ocupação de leitos de UTI. 

Com 92% dos leitos ocupados na quarta (27), São Paulo poderá começar a retomada pela fase 2 do plano, que prevê a reabertura, com restrições, de shoppings, escritórios e concessionárias, dentre outros. Enquanto isso, os demais municípios, com média de 87,6% de ocupação, permanecem na fase 1, com apenas os serviços essenciais em funcionamento - situação idêntica à atual. 

"Observamos com preocupação essa distinção entre a capital e a região metropolitana, uma vez que Barueri possui um alto índice de público flutuante da capital paulista", diz o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB). 

Nesta semana, os prefeitos de Itapevi, Cotia, Cajamar, Carapicuíba e Osasco se reuniram com o secretário estadual Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para cobrar isonomia no tratamento. Eles querem que suas cidades também iniciem a reabertura em junho já na fase 2. 

Em resposta, Vinholi disse que o comitê responsável pelo combate à Covid-SP no Estado vai "avaliar" o pleito. 

Penalizadas 

"Nossas cidades não podem ser penalizadas com outras que estão com quadros piores e, de fato, precisam estar com restrições", disse Igor Soares (Podemos), prefeito de Itapevi. "Com uma maior circulação permitida nessas cidades, os riscos de contaminação da nossa população, assim como da população flutuante que frequenta a cidade, mantêm-se altos, o que vai dificultar ainda mais controlarmos os índices locais", afirma Furlan. 

Questionada pela reportagem, a assessoria da Prefeitura de Santana de Parnaíba disse que o prefeito Elvis Cezar (PSDB) "está em tratativas" com os gestores da região e só se manifestaria a respeito nesta sexta (29). 

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 03 Março 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/