Política

Com pandemia, prefeituras da região acumulam R$2,6 bilhões em ‘dívidas’

Política

Com pandemia, prefeituras da região acumulam R$2,6 bilhões em ‘dívidas’

Levantamento do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo considera receita x despesas empenhadas 

As oito cidades que compõe o Cioeste anotaram gastos superiores as receitas (Pixabay)
De acordo com dados do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE), as prefeituras da região acumulam R$ 2,6 bilhões em 'dívidas', neste ano. O levantamento realizado pela reportagem, junto ao site do órgão, na quinta-feira (6), revela que das oito cidades que compõem o Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo (Cioeste), todas arrecadaram menos do que 'gastaram'.

Barueri registrou uma receita total de R$ 947,1 milhões, enquanto teve R$1,9 bilhão em despesas empenhadas. Apesar disso, o orçamento previsto para este ano é de R$ 3,3 bilhões, um dos maiores da região.; ou seja, o valor empenhado corresponde a 57,5% da receita estimada.
Carapicuíba anotou entrada de R$ 182,9 milhões e empenhou R$ 582,2 milhões. Cotia contabilizou R$331,6 milhões de receita consolidada e já possui R$802,2 em 'débitos'.


Em Itapevi foram recolhidos R$239,8 milhões e há R$572,8 milhões em despesas. Jandira tem R$108,6 milhões de receita e R$ 146 milhões em despesas. Osasco registrou R$977,7 milhões em caixa e possui R$1,3 bilhão em gastos. Santana de Parnaíba arrecadou R$ 356 milhões e tem R$ 435,9 milhões em despesas. Pirapora do Bom Jesus aparece com R$27,9 milhões em 'débitos' e caixa de R$ 21,6 milhões.

Em 2020, com exceção de Carapicuíba e Pirapora do Bom Jesus, todas as prefeituras mencionadas fecharam as contas anuais no azul.

Repasses
Segundo dados do TCE, estados e municípios paulistas destinaram juntos R$ 2,39 bilhões no enfrentamento da pandemia causada pelo novo coronavírus.
Os dados se referem até o dia 31 de março. O valor total empregado é 73% maior em relação ao período anterior, que somava R$1,38 bilhões em recursos aplicados entre janeiro e fevereiro.
Segundo o levantamento, 52% das cidades receberam repasses federais e/ou estaduais para ações de combate a Covid-19 (veja as informações no destaque).


Gastos com Covid-19

As cidades da região que compõem o Cioeste gastaram, juntas, R$108 milhões, em março, no combate à pandemia. As informações são do Tribunal. O maior investimento foi realizado pela Prefeitura de Osasco, R$ 40,3 milhões. Barueri aparece em seguida, com R$33,2 milhões. Osasco recebeu o valor mais alto proveniente de repasse federal, R$ 2,7 milhão.

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 25 Junho 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/