Ao contrário de Bolsonaro, prefeitos da região não ‘focam’ no Twitter

Foto: Divulgação

Ao contrário do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que utiliza o twitter para se comunicar com a população, informar sobre seu governo e criticar a oposição com intensidade, os prefeitos da região não recorrem à ferramenta de forma prioritária. Bolsonaro acumula 4,1 milhões de seguidores, 6,6 mil tweets e 1,8 mil curtidas. Ele participa da plataforma desde 2010. O recurso ganhou 'força' durante sua campanha eleitoral em 2018.

Os gestores tucanos Elvis Cezar e Rubens Furlan, à frente das administrações de Santana de Parnaíba e Barueri, respectivamente, adotaram o Facebook e o Instagram para falar dos serviços municipais executados, projetos e também assuntos pessoais, por meio de vídeos e fotos, onde interagem com os internautas.

Segundo um levantamento realizado pela Folha de Alphaville, Furlan entrou no Twitter no mês de fevereiro deste ano e, até a quarta-feira (1/5), tinha apenas um tweet e dois seguidores. "Para mim, saúde é prioridade. Além das ações que já conseguimos iniciar, todas as obras que planejei estão começando a entrar em funcionamento", disse o prefeito no dia 1º de março, que direcionou a informação para um link do Instagram.
No Facebook, o gestor contabiliza mais de 93 mil seguidores.

Popularidade
O prefeito Elvis soma 192 seguidores e 10 mil tweets em sua conta, praticamente 100% de seus posts são links para direcionamento de sua página no Facebook, onde o tucano conta com 45 mil seguidores.

De acordo com ele, a população em geral costuma acompanhar mais o Facebook e o Instagram, por este motivo prioriza estas redes. Mas, o gestor afirma que " o Twitter na verdade é uma falha na minha comunicação porque muitas pessoas são mais adeptas da ferramenta em outras esferas".

O especialista
De acordo com o cientista político e professor do Insper, Leandro Consentino, o twitter é uma opção utilizada para quem quer uma comunicação mais direta, de "bate pronto". "Já o Facebook proporciona mais interação com as pessoas pelos recursos, texto maior, fotos, vídeos. No twitter são frases de efeito, no Facebook é possível ter mais conteúdo, mais amplo. Por outro lado, muitos não têm o hábito de ler textos grandes". 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 21 Outubro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário