Mercado de home equity tem potencial de injetar R$ 500 bi na economia

Estimulo poderia acelerar participação para 20% do PIB (Foto: Alexander Raths/123rf.com)
Nesta terça-feira (6), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que o mercado de home equity, crédito com garantia imobiliária ou refinanciamento imobiliário, tem potencial de injetar R$ 500 bilhões na economia, em uma estimativa conservadora. Atualmente, esta modalidade de empréstimo no Brasil representa cerca de 3% do Produto interno bruto (PIB), uma das menores taxas de penetração do mundo.

De acordo com a Credihome, plataforma online de soluções de crédito para compradores e proprietários de imóveis, o estimulo à modalidade no país poderia acelerar a participação para cerca de 20% do PIB. 

No México, por exemplo, a penetração de home equity é de cerca de 10% do PIB. No Chile, este número chega a 14%. Em economias mais maduras, como Japão (33%), Alemanha (51%) e até Austrália (82%) tem índices mais de dez vezes maiores que os do Brasil.

"Essa é uma taxa muito baixa se comparado a países desenvolvidos ou mesmo outros países da América Latina. Com juros em queda, destravamento e simplificação do processo de registro de cartório e os incentivos adequados, o volume de home equity pode chegar a 10% em 8 a 10 anos e até 20% em 20 anos – número que se aproxima dos R$ 500 bilhões citados pelo Banco Central", afirma Bruno Gama, CEO da Credihome.​

Já faz parte da agenda do Banco Central o estímulo a modalidades de crédito com prazos mais longos e juros menores. Prova disso é que o BC já anunciou recentemente a redução do compulsório para instituições financeiras que oferecem crédito com garantia de imóvel. O aumento do uso de imóveis como garantia já permite que o consumidor acesse crédito livre com juros na casa de 1% ao mês e prazos de até 20 anos no país.

O que é home equity?
Muito comum nos Estados Unidos, o home equity é uma modalidade de crédito onde o proprietário usa um imóvel residencial ou sala comercial, quitado em seu nome e com a documentação em ordem, como garantia para conseguir um empréstimo pessoal. A destinação dos recursos para esta modalidade é livre, o que a torna uma opção para atender a diversas necessidades, como investimento para abrir empreender e até o pagamento de dívidas.

Veja mais notícias sobre Imóveis.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 19 Setembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário