Manutenção de elevador em prédios exige cuidados

Equipe técnica precisa ser acionada em caso de desnível (Foto: Katarzyna BiaÅ‚asiewicz/123RF.com)

O elevador é o equipamento mais utilizado por quem mora em prédio de apartamentos. É o "transporte público" dos condomínios. Por isso, o síndico deve adotar todas as medidas para garantir o bom funcionamento e a segurança dos equipamentos a seus usuários. A orientação é da Lello, empresa especializada em administração de condomínios do Estado de São Paulo.

Como tudo no condomínio, o elevador demanda cuidados específicos, que devem ser desempenhados por mão de obra qualificada, e manutenção preventiva – sempre melhor e mais barata que a corretiva.
Além de estimular o correto uso por parte dos moradores, afixando as dicas da empresa responsável pela manutenção nos quadros de aviso do condomínio, o síndico deve observar regularmente o funcionamento do elevador, para verificar se o equipamento apresenta qualquer alteração.

O elevador deve ser desligado e a empresa de manutenção, acionada, se houver desnível de cabine e quando o equipamento estiver parando entre dois andares ou andando com a porta aberta. Esses são sinais de que o elevador está com problemas técnicos.

É preciso muito cuidado ao trocar a empresa que executa a manutenção dos elevadores. Na cidade de São Paulo, a empresa deve ser homologada no Contru (Departamento de Controle do Uso do Imóvel) para emitir o Relatório de Inspeção Anual. O documento é expedido após o engenheiro da empresa inspecionar o elevador. Caso a empresa não seja cadastrada, o documento não é emitido e é o próprio condomínio será notificado pela prefeitura

Os condomínios podem optar por dois tipos de contrato: aquele que engloba só mão de obra – os chamados de conservação – e os que também englobam peças – os contratos de manutenção, que são um pouco mais caros.

"Antes de optar por um ou outro, deve-se analisar o quanto o condomínio vem gastando com peças", explica Raquel Tomasini, gerente de produtos e parcerias da Lello Condomínios. Em caso de condomínios novos, o mais comum é focar no serviço de manutenção da empresa fabricante, para que se possa desfrutar da melhor forma da garantia do equipamento.

Contrato de manutenção
Segundo Raquel, o contrato de manutenção pode ser feito direto com o fabricante ou com uma outra empresa, que não tenha fabricado o elevador.

Os síndicos precisam acompanhar regularmente o calendário de manutenção dos elevadores, se as visitas de inspeção estão sendo feitas, se as peças estão sendo trocadas em caso de necessidade. "Isso ajuda a manter o equipamento em condições adequadas de uso e evita gastos desnecessários no futuro".

Veja mais notícias sobre Imóveis.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 18 Novembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário