MKT & Negócios

Starbucks considera operar apenas por delivery durante crise do coronavírus

Empresas

Starbucks considera operar apenas por delivery durante crise do coronavírus

Medida seria temporária, como forma de evitar aglomerações  

Medida seria temporária, como forma de evitar aglomerações. (Foto: Divulgação)

A pandemia do coronavírus impacta não só na saúde pública, mas também na economia mundial. Restaurantes e espaços de lazer no mundo todo já estão sentindo os impactos da quarentena. 

Como forma de seguir com o atendimento ao público, mas evitar aglomerações, a gigante Starbucks está cogitando adaptar seu modelo de vendas temporariamente, limitando para aplicativos durante o período da pandemia. As lojas receberiam os pedidos por apps, como iFood e Uber Eats, evitando o contato direto entre funcionários e clientes.

"Como último recurso, fecharemos nossas lojas se acharmos que é o melhor para nossos clientes e parceiros, ou se formos instruídos a fazê-lo pelas autoridades", afirmou Kevin Johnson, CEO da empresa. 

Delivery

Apesar da ideia evitar aglomerações, o alternativa ainda não se mostra 100% segura, visto que o cliente teria contato com o entregador. 

No Brasil, as empresas de delivery já estão conscientizando os entregadores com as novas medidas de prevenção. A Uber Eats, por exemplo, anunciou suspender as contas de motoristas em caso de suspeita de contaminação.

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 07 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/