Como o Coronavírus afeta a economia mundial

mask-5008682_1280
Com os consumidores em quarentena e evitando aglomerações, lojas dos mais variados segmentos já sentem a crise. (Foto: Pixabay)

Quem em dezembro de 2019 cantava que o ano novo traria "muito dinheiro no bolso e saúde para dar e vender", não contava com a presença incômoda do Covid-19. Ele pode até não ter um elevado poder de letalidade, mas é um campeão em internações, resultando em hospitais lotados e colapsos nos sistema de saúde.

O avanço do vírus em vários continentes obrigou governos a adotarem medidas severas para evitar um número ainda mais alto de infectados. O isolamento social colocou nos trending topics das redes sociais termos como "quarentena" e "fiquem em casa". Resultado: danos na economia do mundo inteiro.

Diante da redução de pessoas nas ruas e do funcionamento apenas dos serviços essenciais, o dinheiro parou de circular como deveria, os lucros cessaram, o comércio não funciona plenamente e a economia vai parar na UTI.

Ainda que os governos do mundo inteiro adotem estratégias para minimizar a situação, os estragos ocasionados pelo Coronavírus na economia são sentidos agora e continuarão sendo percebidos por mais algum tempo.

Com este cenário caótico podemos perceber alguns dos setores da economia que mais foram afetados pelo vírus. Vamos ver quais são?

Turismo

Se o objetivo é dificultar ao máximo a circulação do Coronavírus, é importante que o número de viagens seja reduzido. Se antes locais como a Torre Eiffel, Veneza e o Cristo Redentor eram repletos de turistas, atualmente a situação é diferente.

Nesse caso, restaurantes, redes de hotéis e agência de viagens sentem o golpe diretamente diante da baixa quantidade de viagens e do fluxo quase inexistente de turistas pelo mundo.

Além disso, companhias aéreas e empresas de transporte rodoviário também são afetadas diante desse cenário.

Comércio

Com os consumidores em quarentena e evitando aglomerações, lojas dos mais variados segmentos já sentem a crise batendo na porta.

Nesse caso, shopping centers e grandes lojas já não possuem tanta gente perambulando. Sendo assim, datas importantes como a Páscoa, o Dia das mães e dos namorados sofrerão as consequências.

Nesse tsunami de baixo consumo ocasionado pelo Coronavírus, agências de publicidade também serão afetadas, assim como outros serviços, como, por exemplo, as academias. Se a ordem é o distanciamento social, muitos estabelecimentos nesse segmento param de funcionar e as pessoas se limitam a praticar exercícios em casa.

Além disso, quem investe em produções de eventos também já está a par das dificuldades, pois cerimônias de casamentos, formaturas, reuniões e aniversários são canceladas ou adiadas.

Entretenimento

Músicos, atores e demais profissionais da arte (famosos ou não) também sentirão os impactos econômicos do Covid-19. Teatros estão fechados, livrarias e salas de cinemas idem.

A cultura pop, que é uma das engrenagens auxiliando a economia girar também terá uma fatia dos seus lucros abocanhada pelo vírus, pois Marvel e outros estúdios de cinema importantes já adiaram as suas principais atrações para o segundo semestre.

O mesmo vale para os eventos esportivos de 2020. As olimpíadas foram adiadas para o ano que vem. Já quando o assunto é futebol a situação não é diferente. Os grandes estádios do mundo estão em silêncio, fechados, aguardando a crise ser derrotada.

Isso afeta investidores, os atletas, os patrocinadores de atletas, agências de publicidade e também a saúde financeira dos maiores times do Brasil e do mundo.

Como driblar a crise?

Para contornar os problemas econômicos ocasionados pelo Coronavírus é necessário usar a criatividade e contar com uma mãozinha da tecnologia. Agora mais do que nunca a presença digital é importante e ter um site se torna fundamental.

O investimento em um e-commerce é uma alternativa viável em um momento conturbado como esse, em que cada vez mais as pessoas ficam em suas respectivas casas.

Por isso, investir em uma loja online e poder contar com uma boa hospedagem de site é um caminho seguro para o seu empreendimento não parar por completo.

A hospedagem, nesse caso, é importante para o seu e-commerce se tornar mais seguro, com backups frequentes e outros recursos pertinentes.

Entretanto, não é só o e-commerce que pode ser uma solução no fim do túnel, mas os aplicativos de entrega e até mesmo a implementação do sistema de delivery deram um boom nas últimas semanas por conta dessa crise de saúde.

No caso das empresas que não podem se aproveitar dessas tecnologias, o Home Office é a alternativa para os profissionais continuarem ativos. O Trabalho Remoto permite que todos, ou pelo menos quase todos os colaboradores de uma empresa trabalhem de casa.

Isso é possível graças aos atuais softwares de compartilhamento. O Google Drive, o Dropbox, o Trello e o já conhecido Skype permitem a realização de reuniões em tempo real, bem como o envio e o compartilhamento de qualquer tipo de arquivo.

Desse modo, as atividades de uma empresa, ou pelo menos boa parte delas, continuam sendo realizadas sem prejudicar a saúde dos funcionários e até mesmo gerando menos gastos, pois não há despesas com transporte e alimentação.

A Economia não será mais a mesma por algum tempo depois do Coronavírus

Todos os segmentos da sociedade serão afetados pelo Covid-19, porém é possível amenizar os danos contando com criatividade e olhos abertos para novas oportunidades e cenários que o mercado apresenta.

Portanto, a tecnologia e as possibilidades que a internet oferece pode ajudar vários empreendedores a superarem esse tempo difícil e até mesmo mudarem os seus formatos de negócios. 

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 26 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário