Sem repasses de vacina, municípios não devem ter campanha contra raiva

Em clínicas particulares de Alphaville, vacina custa entre R$ 55 e R$ 80 (Foto: Michela Brígida/Folha de Alphaville)

Os municípios de Barueri e Santana de Parnaíba, assim como demais cidades do Estado de São Paulo, não devem ter campanha de vacinação contra raiva neste ano, que normalmente é realizada no mês de agosto. Isso porque o laboratório que produz as doses para o Ministério da Saúde enfrenta problemas técnicos e atrasou o prazo de fornecimento dos imunizadores. 

De acordo com a pasta, o tardamento na entrega se deu no mês de julho. Para tentar amenizar o problema do calendário da campanha, está sendo feito um remanejamento das doses destinadas à rotina de vacinação no país. "Os municípios prioritários, ou seja, aqueles que tiveram casos confirmados de raiva em cães por variantes de cão doméstico ou canídeo silvestre, e as cidades fronteiriços com a Bolívia, receberão as doses para a realização da campanha", explicou o órgão em nota. 

O Ministério da Saúde informa ainda que o Brasil se encontra próximo à eliminação da doença, que é causada por vírus canino da Variante 2. Neste ano, foram enviadas 7,1 milhões de doses para todo o país, sendo 1,5 milhão para o Estado de São Paulo.

Segundo o médico veterinário Sérgio Sauaia, da Clínica Veterinária de Alphaville, a raiva é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus que acomete mamíferos e é transmitida principalmente por meio da mordida de animais infectados, mais frequentemente por cães e gatos. "A vacinação, que deve ser tomada anualmente, se mostrou o mais importante método de combate à doença, causando a acentuada diminuição do número de casos através dos anos, com baixíssima incidência de efeitos colaterais; ou seja, é um método barato, seguro e extremamente eficaz", explicou.

Preço
Moradores que quiserem vacinar os seus animais de estimação terão que desembolsar entre R$ 55 e R$ 80, de acordo com pesquisa feita pela Folha de Alphaville junto a clínicas veterinárias particulares da região. Na maioria dos locais, não é preciso fazer agendamento de horário para a imunização.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 17 Outubro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário