Domingo, 14 Agosto 2022

Cidades

Moradora de Alphaville, cantora Simony revela diagnóstico de câncer no intestino

Saúde Cidades

Moradora de Alphaville, cantora Simony revela diagnóstico de câncer no intestino

Ela, que tem 46 anos, vai realizar o tratamento no hospital HCor, em São Paulo

Cantora compartilhou a notícia, nesta quarta-feira (3) em um vídeo, no Instagram, ao lado do médico Fernando Maluf (Foto: Reprodução/Instagram)

Neste quarta-feira (3), a cantora Simony, que é moradora de Alphaville, revelou ter sido diagnosticada com um câncer no intestino. Ela, que tem 46 anos, compartilhou a notícia em um vídeo, no Instagram, ao lado do médico Fernando Maluf. Simony vai realizar o tratamento no hospital HCor, em São Paulo.

"Por conta de uma íngua, eu fui fazer os exames que são importantíssimos. Fiz a colonoscopia que eu nem sabia que a gente tinha que fazer a partir dos 45 anos e foi descoberto", disse Simony.

Segundo o doutor Maluf, o câncer está localizado na parte final do intestino, perto da região do ânus. "Esse é um tumor chamado epidermoide. É um tumor que começou nesta região e tem alguns gânglios. Foi por causa de um desses gânglios na região da virilha, que a Simony percebeu que alguma coisa estava errada", explicou o médico.

O especialista disse que essa é uma situação que tem tratamento, que envolve quimioterapia e radioterapia. "A gente tem uma esperança muito grande baseado nos resultados da literatura e dos nossos grupos que essa princesa vai ter uma história feliz, para ela, para família, todos os fãs e para equipe médica que vai ter o privilégio de poder participar desse processo de cura dela", disse.

A cantora revelou ainda que está muito forte e confiante. "Nunca entrei numa briga para não sair ganhando. Eu sou forte, estou com a maior animação para começar ", garantiu.

Câncer de intestino

Entre as mulheres brasileiras, o câncer de intestino é o segundo mais comum, fica atrás apenas do de mama. Este também é o terceiro tipo de câncer que mais mata no país, tanto entre homens quanto entre mulheres. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam o surgimento de mais de 40 mil casos por ano no Brasil.

A pessoa pode notar uma alteração do hábito intestinal, alternando diarreia e constipação ou, muitas vezes, sentir fraqueza e perceber apenas anemia.

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 14 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/