Cidades ficam abaixo da média do Estado em mortalidade infantil

Recentemente, a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Estatísticos (Seade) divulgou as diferenças demográficas entre os municípios. Um dos aspectos abordados é a taxa de mortalidade infantil. No Estado de São Paulo, a mesma correspondeu a 10,70 por mil nascidos vivos em 2018.

Em relação aos municípios da região que fazem parte do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste), parte deles ficou abaixo da média do estado. Barueri e Parnaíba foram as que tiveram um dos melhores desempenhos, com taxas de 8,26 e 7,14, respectivamente. Cotia (7,72), Carapicuíba (9,39) e Pirapora do Bom Jesus (6,99) também integram esta lista. 

Passando para o tópico mortalidade em geral, no estado a taxa foi de 6,8 óbitos por mil habitantes em 2018. Na região, Pirapora do Bom Jesus obteve o menor índice no ano retrasado: 3,96. Em Barueri, no mesmo período, a taxa foi de 6,9 e, em Santana de Parnaíba, 4,6. Ambos os municípios se mantiveram na média.

Taxa de fecundidade
Quando o assunto é a taxa geral de fecundidade, ou seja, uma estimativa do número médio de filhos que uma mulher teria até o fim de seu período reprodutivo, a Região Metropolitana de São Paulo foi a que registrou as maiores médias em 2018, segundo o Seade. 

Enquanto no estado, em cada mil mulheres, na faixa etária de 15 e 49 anos, 50 tiveram filhos, em Barueri, por exemplo, o número pula para 78, a maior taxa entre as cidades do Cioeste.

Santana de Parnaíba alcançou o quinto lugar na lista, em que 59 mulheres a cada mil tiveram filhos em 2018. O município ficou atrás de Carapicuíba (64), Cotia (61) e Itapevi (60).

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 03 Abril 2020

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário