Em oito meses, Barueri e Parnaíba somam 184 ocorrências de dengue

Equipe de zoonoses percorre residências orientando moradores e buscando criadouros do Aedes aegypti (Foto:Michela Brígida/Folha de Alphaville)

O aumento no número de casos de dengue no Brasil foi ratificado por dados recentes divulgados pelo Ministério da Saúde: entre janeiro e agosto, foram registrados 1.439.471 casos prováveis da doença no Brasil, uma alta de 600%, na comparação com mesmo período de 2018. São Paulo é o Estado com maior aumento dos casos, 3.712%, com 437.047 registros.

A alta da doença também é percebida na região. Segundo dados do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) "Prof. Alexandre Vranjac", apurados pela reportagem, de janeiro a agosto deste ano, 97 casos da doença foram confirmados em Barueri, sendo 61 deles autóctones, ou seja, contraídos na cidade, e 36 importados. No mesmo período de 2018, foram sete registros, um aumento de mais de 1200%. No município, o mês com maior incidência este ano foi em abril, com 53 infectados.

Em Santana de Parnaíba, nos primeiros oito meses do ano, foram 87 casos confirmados, sendo 50 autóctones e 37 importados. No mesmo período de 2018, o CVE registrou três ocorrências. A alta foi de 2800%. Em Parnaíba, maio teve o maior número de infectados em 2019, com 34 casos.

Segundo Michelle Zicker, infectologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, a dengue é uma doença típica das regiões tropicais, então o calor e, principalmente, as chuvas, favorecem o aparecimento dela. "Nós tivemos um inverno não muito frio, com períodos mais quentes, e com isso vieram chuvas. Esses fatores ajudaram no aumento destes casos nesta época 'atípica'", afirmou a especialista. 

Ainda de acordo com ela, a melhor forma de prevenção é impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. "Não podemos deixar água parada, acumular lixo, deixar pneus expostos e isto vale para o ano todo. Sempre que acumular água, existe o risco".

Ações municipais
Tanto Barueri, quanto Parnaíba, realizam diferentes ações para diminuir o número de ocorrências. Em Barueri, a prefeitura atua regularmente promovendo limpeza urbana, fiscalizando imóveis abandonados e orientando cidadãos e vistoriando residências para localizar possíveis focos do mosquito. "O combate à dengue depende sempre da adesão da população. Todo morador precisa se organizar e vistoriar o imóvel onde mora pelo menos uma vez por semana. Promover a limpeza do ambiente e eliminação de criadouros é a ação recomendada", disse a gestão em nota. 

As visitas casa a casa em Parnaíba, feita pelos pelos agentes de combate a endemias, acontecem quatro vezes ao ano em todos os imóveis do município. "Eles realizam eliminação de criadouros de Aedes aegypti e dão orientação aos moradores. Além disso, a prefeitura faz um levantamento de densidade de larvas do mosquito em todo o território, para indicar em quais locais há maior risco de transmissão e faz a aplicação de inseticida quando são confirmados dois casos de arbovirose no mesmo quarteirão", ressaltou a administração.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 21 Outubro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário