Companhias aéreas ainda 'perdem' 25 milhões de bagagens todo ano

thinkstockphotos-491118114
Quase metade de todas as malas perdidas se deve a problemas relacionados a transferências de voos

Apesar das novas tecnologias de rastreamento, milhões de malas ainda se perdem a cada ano pelas empresas aéreas. Uma experiência frustrante para milhões de passageiros. 

A SITA, órgão internacional que monitora o manuseio global de bagagens, afirma que o número total de malas "mal manuseadas" caiu de 46,9 milhões em 2007 para 24,8 milhões em 2018.

Os investimentos em tecnologias de rastreamento, segundo a SITA, estão aumentando. Como exemplo, a empresa americana Delta agora inclui um pequeno chip na tradicional etiqueta de código de barras que é colocada na alça da mala no momento do check-in, de forma que cada bagagem possa ser escaneada automaticamente pelos aparelhos à medida que passa pelo sistema aeroportuário. Assim, as malas extraviadas podem ser identificadas mais facilmente por meio de um sistema de monitoramento central.

Você também pode resolver esse problema rastreando sua própria bagagem por meio da tecnologia GPS. Há vários rastreadores disponíveis no mercado, pequenos dispositivos que são colocados dentro da mala e transmitem sua localização de qualquer lugar do mundo para um aplicativo de smartphone.

Malas extraviadas

Mesmo com todo o aparato tecnológico para facilitar a localização da bagagem, 25 milhões de malas ainda são extraviadas ou perdidas a cada ano. De acordo com a SITA, quase metade de todas as malas perdidas se deve a problemas relacionados a transferências de voos.

Dentre os principais motivos, estão: voos atrasados, em que a mala não chega ao voo de conexão a tempo e passageiros ou carregadores que simplesmente pegam a mala errada

Outro fator que contribui pode ser a complexidade do sistema de manuseio de bagagens. Em alguns aeroportos, as companhias aéreas empregam seus próprios carregadores, mas em outros, esses profissionais são independentes e contratados para atender a várias empresas.

A Europa, por ser um dos destinos mais concorridos, apresenta o pior desempenho no manuseio de bagagens. De acordo com a SITA, o continente registra anualmente 7,29 malas mal manuseadas por cada 1 mil passageiros, comparado a 2,85 na América do Norte e apenas 1,77 na Ásia.

Dicas para segurança 

Nunca leve pertences de valor financeiro ou emocional na mala. Eletrônicos, joias, dinheiro e outros objetos mais valiosos devem ser transportados sempre na mala de mão ou na mochila.

Capriche na identificação colocando tags ou acessórios coloridos/chamativos.

Cadeado aprovado pela TSA é sempre uma boa ideia.

Compre um seguro viagem que cubra danos para extravio de bagagem.

Tire todas as etiquetas de voos antigos para diminuir o risco da mala ser levada a outro voo.

Leve uma muda de roupa na mala de mão e os acessórios que você vai precisar para aproveitar o destino imediatamente ao chegar.

Veja mais notícias sobre Turismo.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 17 Outubro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário