Vinholi acredita na permanência do PSDB no comando das prefeituras da região

Marco Vinholi, à frente do PSDB Paulista, comandará a reunião (Divulgação)

​No sábado (30), o diretório paulista do PSDB se reunirá para definir estratégias e diretrizes voltadas às eleições municipais, que acontecem no próximo ano. No encontro na capital, que será comandado pelo presidente estadual da legenda, Marco Vinholi, também serão abordados temas como levantamento da situação dos diretórios do partido e congresso estadual e nacional, que deve ocorrer dia 7 de dezembro, em Brasília.

" Vamos discutir as candidaturas nos municípios e bandeiras conjuntas do partido para as cidades", contou Vinholi, que também ocupa o cargo de secretário estadual de Desenvolvimento Regional, um dos braços direitos do Governo Doria. A expectativa é que o governador participe da reunião, para o lançamento do novo processo de renovação política da legenda. Os interessados em disputar as eleições têm até abril para se filiar. Apesar do prazo curto, o cenário continua incerto em alguns locais.

Região
Em Itapevi, o PSDB pretende apoiar o atual prefeito Igor Soares (PODE), mas o presidente do PSDB disse que a situação ainda não está definida. Vinholi, entretanto, põe fé que o partido se manterá à frente das prefeituras. 

Em Santana de Parnaíba, apesar do prefeito Elvis Cezar não ter anunciado ainda quem apoiará, o presidente estadual da sigla falou que o nome será indicado pelo prefeito e acredita na permanência do comando do PSDB na cidade. Assim como em Barueri, município governado por Rubens Furlan (PSDB), que tentará seu sexto mandato. Em Osasco, a legenda terá como candidato o atual vereador Dr. Lindoso. 

"Nos preparamos forte para ganhar as eleições. Em Barueri e Santana de Parnaíba temos gestões muito consolidadas, bem avaliadas pela população. Em Osasco, é um quadro muito promissor, sério e com serviços prestados à sociedade, disposto a dar um novo caminho para a cidade", avaliou.

Fusão DEM

Para o governador Doria, que é apontado no PSDB como pré-candidato à Presidência em 2022, o "centro" precisa se aglutinar já nas eleições municipais do ano que vem. "Em 2020 vão se estabelecer claramente dois campos, que farão um grande confronto: a extrema esquerda e a extrema direita. As eleições municipais se anteciparão ao que serão as eleições gerais de 2022". Com a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão, ganhou força no PSDB a discussão sobre a possibilidade de uma fusão com o DEM e/ou o PSL.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 11 Dezembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário