Prefeito de Barueri ‘segue’ Doria e usa serviços terceirizados na gestão

Renomados, Elvis e Furlan são respeitados por políticos da região (Michela Brígida/Folha de Alphaville)

Assim como o governador João Doria (PSDB), os prefeitos tucanos da região também são a favor da terceirização dos serviços na administração pública. A informação foi confirmada por eles à reportagem. Em Barueri, algumas escolas municipais são geridas por terceiros. Segundo o prefeito Rubens Furlan, maternais que contam com esse tipo de modelo têm tido resultados excelentes.


Na avaliação dele, essa gestão terceirizada ajuda a acelerar o processo e a baratear os custos para os cofres da prefeitura. O tucano ressaltou que as unidades em funcionamento, neste padrão citado, contam com atividades diferenciadas como práticas culturais e esportivas. "Os pais e a comunidade estão aprovando esta inciativa. Com a terceirização das maternais e berçários, Barueri consegue ampliar o número de vagas de forma muito mais ágil e eficiente", falou. A prefeitura não informou quais escolas são terceirizadas e nem o custo.

Ensino 100% municipal
Aliado de Doria, o gestor de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar, disse que o modelo de administração do Estado "está orientado para melhorar áreas importantes e cruciais ao cidadão". Para ele, adotar a privatização e terceirização  de algumas áreas tem se mostrado eficaz "e certamente permitirá que os recursos públicos sejam melhor aplicados onde  de fato mais precisam". Elvis salientou, no entanto, que faz investimentos na área de Educação, que cita como o "maior da história da cidade", sem nenhum processo de terceirização na área. "Somos a única cidade na região e uma das poucas no Brasil com ensino 100% municipalizado do infantil até o ensino médio. Isso tudo tem dado resultados e temos melhorado", concluiu. A cidade não conta com escolas estaduais. 


Estado

O governador de São Paulo, João Doria, avalia a privatização da Sabesp. Com a barganha anunciada por Doria, as ações  a companhia dispararam e seguem no aguardo de uma regulamentação no Congresso. Doria e Henrique Meirelles, secretário de Fazenda, aguardam a tramitação de marco regulatório para o setor de saneamento no Congresso, que pode abrir caminho para a privatização da Sabesp. O governador espera levantar cerca de R$ 20 bilhões com a venda da empresa.


Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 19 Novembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário