Quinta, 20 Junho 2024

Política

De volta ao páreo, Elvis tentará marca que poucos políticos conseguiram na região

Política

De volta ao páreo, Elvis tentará marca que poucos políticos conseguiram na região

Ex-prefeito tenta terceiro mandato e manter ciclo de 16 anos do grupo no poder da cidade 

Prefeito Tonho abriu mão de buscar a reeleição para apoiar Elvis (FOTOS: REPRODUÇÃO REDES SOCIAIS)

Para receber notificações da comunidade de Alphaville e região, inscreva-se em nossos canais no Telegram e WhatsApp

Anunciado como pré-candidato a prefeito de Santana de Parnaíba pelo Republicanos, Elvis Cezar tentará quebrar uma marca que poucos políticos na região conquistaram na história. Uma delas é conquistar o terceiro mandato e, de quebra, manter por 16 anos seguidos o mesmo grupo político no poder.

Para buscar essa marca, o político conseguiu o apoio do governador Tarcísio de Freitas, que fez questão de vir à cidade para participar do ato de filiação de Elvis ao Republicanos. Além disso, o ex-gestor viu nos últimos meses o próprio prefeito Marcos Tonho abrir mão de buscar a reeleição para apoiá-lo.

Historicamente, poucos prefeitos conseguiram o feito nas cidades da região. Um levantamento da Folha de Alphaville aponta sete gestores que chegaram a três mandatos, porém nem todos mantiveram o grupo por tanto tempo no poder.

Na própria Parnaíba, o grupo de Elvis chegou ao poder após 16 anos de mandato do ex-prefeito Silvinho Peccioli (PSD), eleito em 1996 e reeleito em 2000. Em 2004, ele apoiou Benedito Fernandes (PTB), e voltou em 2008. Mas em 2012 foi derrotado por Marmo Cezar (PDT), pai de Elvis, dando início a uma nova fase na cidade.

Desde então, Elvis venceu em 2013, numa eleição suplementar, foi reeleito em 2016 e em 2000 fez o sucessor, o então vereador Marcos Tonho, que é o atual prefeito.

Do outro lado, nos muros de Alphaville, em Barueri, houve o período mais longo de um grupo no poder, o de Rubens Furlan (PSB). O gestor governou por seis vezes a cidade e teve influência em boa parte dos governos que passaram pelo município desde 1982. A exceção foi em 2013, quando ele havia rompido com o ex-prefeito Gil Arantes (União). Este ano, a situação se repete e Gil enfrenta o candidato apoiado por Furlan, o vice- prefeito Beto Piteri (Republicanos).

Ainda sobre longevidade de grupos no poder, em Carapicuíba, o período de 1993 a 2008 foi influenciado pelos mandatos de Fuad Chucre (PSDB), morto em 2023.

Fora esses casos, a busca de Elvis não encontra muitos exemplos nas demais cidades. Em Osasco e Itapevi, nenhum gestor chegou a três mandatos, mesmo com nomes que marcaram como os osasquenses Francisco Rossi e Celso Giglio, e o itapeviense João Caramez.

No caso de Jandira, Braz Paschoalin (PSDB) foi eleito três vezes, mas com outros grupos assumindo o poder entre os mandatos dele. Além disso, o gestor foi assassinado no meio do último período à frente da prefeitura, em 2011.

Fecham a lista Ivo Maria Isaac Pires em Cotia, que venceu três, mas com mais espaçamento entre os mandatos, e Raul Bueno, que governou por três vezes Pirapora do Bom Jesus. Raul, inclusive, chegou a ser eleito uma quarta vez, mas teve o registro de candidatura cassado pela Justiça Eleitoral, por conta de problemas em contas nos primeiros mandatos. Neste ano, ele disputa com Gregório Maglio, um ex-aliado, a hegemonia do poder local.

Cenário em Parnaiba vai se desenhando

A disputa pela prefeitura de Santana de Parnaíba pouco a pouco vai ganhando mais contornos certos. Além do ex-prefeito Elvis Cezar (Republicanos) que tenta manter a hegemonia do grupo, a cidade deve contar com outros candidaturas, como Leandro Monteiro (PL), Silvinho Peccioli Filho (PSD) e o ex-prefeito Aristides (PT). 

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/