Na pandemia, taxa de desocupação atinge 24% no estado

De acordo com a entidade, área comercial foi a mais afetada (Foto: Unsplash)

Segundo a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), até o dia 16 de julho, a vacância atingiu 24% dos imóveis comerciais e residenciais no Estado de São Paulo. A AABIC considerou uma amostra de 19 mil imóveis administrados por empresas associadas à entidade. Esse aumento está relacionado à pandemia da Covid-19. 

A associação destacou que a área comercial foi uma das mais atingidas. A taxa de desocupação alcançou 30% da carteira de comerciais das associadas em julho, ante 20% registrado no fim de março, quando o governo decretou o isolamento social. 

Já no segmento residencial, a vacância atingiu 12% do total de imóveis. Antes da pandemia, o percentual de desocupação era de 9%.

"Na situação da crise pandêmica, os empresários têm receio de abrir ou ampliar seus negócios, sobretudo quando as atividades não são essenciais. A crise forçou as empresas a cortarem os custos e frear seus investimentos, atingindo diretamente os espaços utilizados para realização de suas atividades", avaliou José Roberto Graiche Junior, presidente da AABIC.

Retomada
Por conta da insegurança em relação a reabertura definitiva das atividades, Graiche Júnior afirmou que uma nova perspectiva de retomada ainda é incerta e "deve ser retomada à medida que avançarem os estudos sobre a vacina contra a Covid-19".

Veja mais notícias sobre Imóveis.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 21 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário