A união faz a força!

Projeto Rede Social foi criado por moradoras do bairro e realiza encontros com entidades na Acib, em Alphaville (Foto: Michela Brígida/Folha de Alphaville)

No dicionário, a palavra engajamento significa o "envolvimento ativo com as circunstâncias políticas e sociais que (a alguém) se afiguram de extrema importância". Esta definição cai como uma luva aos moradores de Alphaville. É só dar um pulinho nas redes sociais para ver que o que não faltam pessoas engajadas, que buscam tornar a comunidade em que vivem cada vez melhor.

Após encontrar dificuldades para fazer uma queixa em um estabelecimento, há sete anos, Fernanda Passero decidiu criar o Reclamômetro de Alphaville no Facebook. Com mais de 9 mil membros, o local é hoje o principal canal de reclamações do bairro. "Inicialmente, o objetivo era encurtar a relação entre consumidor e empresas. Porém, ainda em 2013, expandimos para a desburocratização entre munícipes e administração pública", explicou Fernanda.

Deste equipamento, nasceram mais dois grandes grupos: o Indicômetro e o Vendômetro de Alphaville. O primeiro voltado para indicações aos estabelecimentos da região e o segundo para compras e vendas. Segundo Fernanda, em 2020 terão novidades para os três grupos. "Estamos criando um aplicativo com integração de todos os 'Ômetro's', em que vamos estreitar ainda mais a relação com as prefeituras, atuando ainda mais na fiscalização."

Amor aos animais

Há seis anos, o grupo no Facebook "Animais em Alphaville" reúne aqueles que lutam em prol dos pets. Com mais de 5 mil membros, a página se tornou referência na causa. "O objetivo é ajudar na divulgação de casos de abandono, maus-tratos, adoções e principalmente na captação de recursos financeiros para ONGs e protetoras independentes", destacou Filó Guerra, administradora do canal desde sua criação, em 2013.

Segundo ela, que também é protetora de animais no bairro, qualquer pessoa pode participar. "Sempre visamos mais a região, mas com o nosso crescimento, não proibimos divulgação de casos de outros locais. A ideia é sempre promover o bem-estar animal", disse.

Solidariedade além das fronteiras

Alphaville conta com diferentes projetos para ajudar quem mais precisa. São moradores que se reuniram e decidiram passar as fronteiras em prol do bem. O projeto Rede Social da Região Grande Oeste é um deles. Ele foi criado em 2005 por um grupo de voluntárias e moradoras do bairro para apoiar e profissionalizar as entidades sociais com cursos e palestras. "Hoje frequentam cerca de 30 organizações, sendo cinco delas de Alphaville, como o Comitê da Rede, Acib Mulher e Pipa a voar", explicou Graça Calderini, coordenadora do projeto.

Os encontros acontecem na Associação Comercial e Industrial de Barueri (Acib - Alameda Madeira 222) uma vez ao mês, e as entidades que quiserem participar, é só entrar em contato pelo e-mail ([email protected]). "Todos nós voluntários ou pessoas comprometidas com ações sociais queremos ver um mundo melhor", destacou.

É nesta mesma onda que, desde 1994, a ACM Alphaville realiza um trabalho de apoio as crianças do Jardim Mutinga, em Barueri. Hoje, o projeto é feito em um espaço no próprio bairro, que ganhou o nome de Centro de Desenvolvimento Comunitário (CDC). "Somos o único projeto social no bairro. No total, 105 crianças, de 6 a 14 anos, são atendidas no espaço e contam com diferentes aulas, como informática e atividades culturais", explicou Silvio Luiz Brandão Britts, diretor da ACM Alphaville e do CDC. Quem quiser se voluntariar, pode manifestar interesse na própria unidade (Alameda Araguaia 63). 

Veja mais notícias sobre Especiais.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 22 Novembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário