Crise da Covid-19 leva Starbucks a fechar 400 lojas e apostar no delivery

A maior rede de cafeterias do mundo espera perder algo em torno de 3,2 bilhões de dólares na receita. (Foto: Shutterstock)

A crise gerada pela pandemia do novo coronavírus atingiu as pequenas, médias e grandes empresas em todos os países. A exemplo disso, o Starbucks, maior rede de cafeterias do mundo, revelou na quarta-feira (10), seu pessimismo em relação ao próximo relatório trimestral, em que espera perder algo em torno de 3,2 bilhões de dólares na receita, além de uma queda de até 40% nas vendas do mês de maio. 

Como resposta à crise, a rede planeja aumentar a aposta no meio digital. Além do drive-thru, quiosques e atendimento rápido, a empresa pretende inaugurar nos Estados Unidos um novo sistema de lojas, baseado no modelo 'take away', em que os clientes fazem os pedidos via app e passam na loja apenas para retirar as compras. 

Com essa guinada digital, o Starbucks já anunciou o fechamento de 400 unidades de seu formato tradicional de cafeteria. A ação será feita ao longo dos próximos 18 meses e, por enquanto, terá como foco os EUA e o Canadá. 

No Brasil, a empresa diz estar acompanhando de perto o avanço da Covid-19, seguindo com o atendimendo de acordo com os critérios de quarentena de cada município. 

Veja mais notícias sobre Empresas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 13 Julho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário