Índices de Confiança na economia têm queda recorde em abril

Mudança no índice é fruto do impacto econômico causada pela pandemia de Covid-19. (Foto: Agência Brasil)

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 33,7 pontos em abril, na comparação com março. Fruto do impacto econômico causada pela pandemia de Covid-19, o indicador atingiu o menor nível - 55,8 pontos - da série histórica iniciada em 2001. 

O índice consolida as sondagens feitas com empresários da indústria, serviços, comércio e construção. Além dele, há o Índice da Situação Atual, que mede a percepção em relação ao presente, que recuou 30,4 pontos em abril, chegando a 61,5 pontos - também o menor da série histórica. 

Já o Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, recuou 36,2 pontos e passou para 51,5 pontos, mais uma vez o mínimo da série. As maiores quedas ocorreram nos setores da indústria (39,3 pontos) e serviços (31,7 pontos). O comércio recuou 26,9 pontos e a construção, 25,8 pontos. 

Incerteza 

A FGV também apura o Indicador de Incerteza da Economia, que subiu 43,4 pontos de março para abril deste ano, atingindo 210,5 pontos, seu recorde histórico pelo segundo mês consecutivo. 

Em abril, os dois componentes do indicador subiram fortemente. O de mídia, baseado na frequência de notícias com menção à incerteza, aumentou 34,3 pontos e foi para 195,3 pontos, maior nível da série histórica. 

Ao mesmo tempo, o componente de expectativa, medido pela média dos coeficientes de variação das previsões dos analistas econômicos, subiu 62,3 pontos, para 225,8 pontos, segundo maior nível da série. 

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 25 Mai 2020

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

No Internet Connection