Efetuar compras online é preferência de 74% dos consumidores brasileiros

Screenshot-2
Melhores preços e condições de compra são alguns dos motivos para justificar a preferência, além da agilidade e praticidade. (Foto: Divulgação)

O e-commerce é um segmento de mercado em constante crescimento nos últimos anos no Brasil. Em 2018, o segmento no Brasil faturou R$ 53,2 bilhões ー 12% a mais em comparação com 2017 ー e, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o volume de vendas neste ano deve ser em torno de R$ 79,9 bilhões ー 16% a mais do que em 2018. Esses números são resultado da vasta oferta de produtos online, pois já é possível vender qualquer tipo de produto, desde cosméticos, roupas e até mesmo alimentos e eletrônicos.

De acordo com um levantamento realizado pela plataforma de pesquisa de mercado NZN Intelligence, 74% dos consumidores brasileiros preferem efetuar compras online, ao invés de ir até lojas físicas. Isso porque prezam pela praticidade aliada aos bons preços, condições de compras, agilidade e comodidade.

Enquanto isso, dentro dos 26% que preferem o modo de compra tradicional, 40% ainda possível receio e não confiam inteiramente nas lojas virtuais para informar seus dados pessoais e de cartão, por exemplo. Além disso, 25% possuem medo de não receber o produto comprado, 10% têm receio de ser enganado em relação ao pagamento, enquanto 7,5% das pessoas dizem nunca ter encontrado um preço que compensasse.

Embora 74% dos consumidores preferem comprar online, eles ainda seguem alguns procedimentos para evitar problemas com a compra, por exemplo verificar a credibilidade da loja por meio de sites como o Reclame Aqui. Além disso, pesquisam em vários sites o produto para poder efetuar a compra ou, em contrapartida, optam por comprar em lojas que já confiam.

Ainda segundo o levantamento, os produtos mais procurados por categoria são eletrônicos, como computadores, celular e tablets; seguidos por hardware e games, como placa de vídeo, console e jogos. Roupas e acessórios, viagens, incluindo passagem aérea e reserva de hotel, eletrodomésticos e utensílios domésticos complementam a lista. 

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 17 Agosto 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário