Com 3ª geração familiar, Du Chapéu Presentes chega à Alphaville

WhatsApp-Image-2019-09-26-at-22.41.47
Ozeas de Araújo, o Careca, é diretor comercial da marca (Divulgação)

Dados do IBGE e do Sebrae mostram que 90% das empresas no Brasil ainda são familiares. Elas representam cerca de 65% do PIB e empregam 75% da força de trabalho do país. Apesar de serem consideradas o eixo da economia nacional, levantamentos também apontam, por outro lado, que a cada 100 empresas desse tipo 70% não passam pela geração do fundador e apenas 5% conseguem chegar à terceira geração.

Não é o caso da Du Chapéu Presentes, que abre loja conceito nesta sexta-feira (27), com cinco integrantes da segunda geração à frente do negócio, além do envolvimento da terceira geração da família 

A unidade, que fica na Avenida Tucunaré 1498, loja 11/12, é a quarta da marca e vai comercializar desde taças, xícaras, jarras, bombonieres até utensílios domésticos e almofadas.

Após dois anos de pesquisas em cinco regiões, os proprietários decidiram trazer a marca para Barueri. "Todos fatores nos atraíram, desde o espaço, até o estacionamento próprio, além da facilidade de acesso para outras cidades da região", afirma o diretor comercial da empresa, Ozeas de Araújo. 

Montada em uma área de 1.200m², segundo Araújo, os espaços da nova loja proporcionam experiências sensoriais para aproximar marca e cliente. 

Além disso, a Du Chapéu terá a opção de autosserviço, com o uso da tecnologia dos palmtops para a consulta de preço e posteriormente pagamento, mas também o calor humano do atendimento personalizado. "A ideia é sofisticar sem ser caro. É um atacadão de coisas bonitas e acessíveis para todos os públicos, temos itens a partir de R$5, e em breve também teremos móveis, como aparadores e mesas, o chamado fast decor", antecipa.

O empresário diz que investiu perto de R$ 1 milhão no negócio, além de ter gerado 38 empregos diretos. "A previsão é que se esse número totalize 50", diz. 

Expansão

A marca também pretende abrir mais cinco lojas, nos próximos cinco anos."Já passamos por vários planos econômicos, desde 1986; perdemos tudo com o Plano do Collor, superamos. Eu só acredito em trabalho e em empresa familiar, o único lugar onde trabalho vem depois do sucesso é no dicionário", conclui.

Unidos em torno do sonho de seu Pedro

A história da marca Du Chapéu começou na década de 1960, quando Pedro Araújo, oriundo do Rio Grande do Norte, e seis filhos, iniciou sua atividade de vendedor ambulante. "Por volta de 1969, meu pai foi o primeiro ambulante, deficiente físico, a ter uma banca de frutas no Parque Dom Pedro, na Capital. Minha infância toda foi colada nele, vendendo frutas e doces", conta Careca. Depois de uma temporada em um banco, Araújo decidiu optar por seguir sua vocação: ser camelô.

"Em outubro de 1985, logo depois, íamos para a Rua 25 de março". Com o sucesso da vendas, eles abriram a primeira loja, um ano depois, que viria a ser primeira Du Chapéu, vendendo bijuterias. O nome Du Chapéu foi uma homenagem ao chapéu estilo Luiz Gonzaga, usado pelo pai, dado por um cliente, que ficou sua marca. "Ele foi uma inspiração".

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 22 Novembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário