Barueri tem 76,9% dos galpões ocupados; m² custa R$ 20,45

WhatsApp-Image-2020-01-17-at-10.25.55
Eurofarma (esq.) e Cacau Show, em Itapevi. (Foto: Felipe Barros/PMI)

A região de Barueri - que inclui a própria cidade e os municípios de Santana de Parnaíba, Itapevi, Jandira, Carapicuíba, Osasco, Araçariguama e Pirapora do Bom Jesus - fechou o último trimestre de 2019 com 903,8 mil metros quadrados de galpões e condomínios logísticos construídos, dos quais 76,9% estão ocupados. 

Os dados são da SiiLA Brasil, empresa que monitora o mercado imobiliário comercial em toda a América Latina. Ao descrever a utilização de espaços dedicados principalmente a depósitos e setores de logística, as informações servem como termômetro da atividade econômica nas regiões pesquisadas. 

A liderança em termos de área utilizada é de Ribeirão Preto, que ocupa 100% dos espaços desse tipo, seguida por Cajamar (92,9%) e Guarulhos (90,4%). Barueri é a décima no ranking, enquanto a lanterna fica com a região do Vale do Paraíba, com 52,65% de ocupação. 

Quando o critério é a metragem, Barueri ocupa a quinta colocação no indicador. Jundiaí é a primeira da lista, com 1,4 milhões de metros quadrados de galpões, seguida por Cajamar (1,3 milhões) e Guarulhos (1,2 milhões). Aqui, a região de Ribeirão Preto fica no final da tabela, com 108 mil metros de área construída. 

De acordo com o levantamento, os proprietários de Barueri cobram em média R$ 20,45 pela utilização do metro quadrado de cada galpão - um dos valores mais altos de São Paulo, perdendo apenas para o Grande ABC (R$ 23,62), Cajamar (R$ 21,83) e Guarulhos (R$ 21,45). 

Já Piracicaba e região têm o menor preço, com R$14,22 por metro quadrado. No Estado, a média é de R$ 18,44.

"Um dos diferenciais da região Barueri é a grande proximidade com a cidade de São Paulo e também o fácil acesso a um dos principais eixos do Estado, a rodovia Castelo Branco. Esse fator, na ótica do ocupante, reduz signifcativamente o tempo e custo de transporte até o principal mercado consumidor. Por isso, cada vez mais grandes empresas estão investindo em instalações logísticas na região. Além disso, Barueri também é reconhecida como centro comercial e é sede de grandes empresas." Giancarlo Nicastro, CEO da SiiLA Brasil.

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 22 Fevereiro 2020

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário