Como reduzir a gordura abdominal?

Reclamação constante de quem quer emagrecer, a gordura abdominal continua sendo uma dificuldade para muitos. Mas afinal, por que acumulamos gordura nesta área?

São vários os fatores que podem influenciar neste acúmulo, seja hormonal, alimentação inadequada e principalmente resistência insulínica.

O consumo excessivo de carboidratos, principalmente os refinados, elevam rapidamente os níveis de um hormônio chamado insulina. Sempre que estes níveis estão elevados, temos uma facilidade de acumular de transformar esse açúcar em gordura, principalmente visceral. Pães, massas, doces, açúcar, refrigerante são alimentos que contribuem muito para esse aumento. Além da questão estética, o acúmulo da gordura na região abdominal aumenta muito o risco de desenvolver diabetes, hipertensão, câncer e doenças cardiovasculares;

Para melhorar este quadro, é essencial melhorar a qualidade da alimentação e incluir exercício físico na sua rotina diária.

- Garanta boa ingestão de fibras através de verduras e legumes bem variados. As fibras retardam a absorção do carboidrato, ajudam a aumentar a saciedade e evitam picos de açúcar e insulina no sangue;

- Priorize os carboidratos complexos como os das raízes (batata doce, mandioca, mandioquinha), aveia, quinoa, arroz integral e exclua os carboidratos simples como farinhas, massas e doces;

- Inclua atividade física diariamente, o exercício ajuda no controle dos níveis de açúcar no sangue e aumentam o gasto calórico, potencializando seus resultados;

- Sempre que consumir carboidratos, combine com fontes de gorduras boas ou alguma proteína magra. Por exemplo, ao comer a fruta, conciliar com castanhas ou salpicar semente de chia;

- Incluir alimentos e especiarias que modulam inflamação, podem contribuir para reduzir o quadro de resistência insulínica e melhorar o metabolismo do carboidrato: gengibre, canela em pó, cúrcuma, chás variados, como chá verde;

- Manter a base da alimentação de verduras e legumes bem variadas. Incluir 1 prato de sobremesa de folhas verdes no almoço e jantar;

- Incluir gorduras boas com ação anti-inflamatória, além de melhorar inflamação, aumentam saciedade e contribuem para o consumo menor de carboidratos. Azeite de oliva extra virgem, abacate, castanhas e sementes variadas;

- Controlar o estresse é importante, pois indivíduos muito estressados apresentam níveis elevados de cortisol, hormônio que também contribuiu para o acúmulo de gordura abdominal;

A chave para uma barriga sequinha e acima de tudo ter saúde é a combinação da alimentação, atividade física, controle de estresse e boas noites de sono. 


Jéssica Borrelli

Nutricionista Esportiva e Funcional

Veja mais notícias sobre Colunistas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 21 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário