Sem solução à vista, moradores de Alphaville sofrem com pernilongos

Pernilongos tendem a ficar concentrados próximo ao rio Tietê, que é poluído (Foto: Michela Brígida/Folha de Alphaville)

Problema antigo de Alphaville, a proliferação de pernilongos parece ter tomado maiores proporções nas últimas semanas. Moradores da região relatam, por meio de textos e fotos, em grupos de discussão nas redes sociais, o aumento exacerbado de mosquitos nas residências, alterando a rotina e qualidade de vida de todos. 

"Aqui no residencial 4 já é caso de calamidade pública. A administração passa o fumacê, eu uso citronela, tocha, queimo café e não adianta", disse uma moradora. "De verdade, nem no verão e em anos anteriores, vi tanto pernilongo como agora. Meu filho de 8 anos está todo picado. Rezo todo dia para ser só um mero pernilongo e não um Aedes infectado", acrescentou outra. 

Segundo Rogério Machado, professor de Meio Ambiente e Química da Universidade Presbiteriana Mackenzie, as altas temperaturas do outono, e agora do inverno, são alguns dos fatores que podem explicar o aumento no número de pernilongos em Alphaville. "Com o tempo quente, onde tinha água acumulada, simplesmente eclodiu os pernilongos. Sem contar que a proximidade com o rio poluído na região também conta, já que nesse local os pernilongos costumam ficar concentrados", explicou.

Para o especialista, o fumacê, recurso utilizado pela Prefeitura de Santana de Parnaíba não é muito eficaz, já que mata apenas os mosquitos que estão voando. "As larvas não são atingidas pela fumaça. Logo, o foco do problema não é alcançado, fazendo com que essa não seja uma alternativa viável economicamente, podendo gerar ainda danos ambientais", disse Machado.

Recomendações
Uma das ações que poderiam solucionar o problema na região, ainda de acordo com o professor, seria a canalização do rio e a ação integrada entre as gestões municipais e a população a fim de não deixar lixo e água parada na rua. "Recomendo que os moradores usem também repelentes e fechem as janelas no final da tarde. Os pernilongos têm suscetibilidade à luz ultravioleta do sol, só saem ao entardecer. Se virem mosquitos durante a manhã, eles possivelmente são os transmissores da dengue", explicou.

Para combater os mosquitos e pernilongos, a Prefeitura de Barueri informou que faz uma ação integrada para o ordenamento urbano por meio de várias secretarias, conforme suas atribuições distintas (ação chamada atualmente de Zeladoria Urbana). "Atuamos regularmente por todo o município fiscalizando e promovendo limpeza urbana, capinagem, manutenção e poda de arvores em ruas, praças e próprios públicos. Recebemos denúncias, fiscalizamos e notificamos proprietários de imóveis abandonados para que procedam capinagem e limpeza de seus imóveis", informou a gestão.

A administração de Santana de Parnaíba informou que o fumacê só é feito em caso de extrema necessidade, uma vez que "a SUSEN (Superintendência de Endemias) não autoriza e não orienta os municípios que realizem esse serviço com frequência".

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 16 Julho 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário