Na contramão do país, Santana de Parnaíba inaugura primeira maternidade com UCI Neonatal

Unidade foi aberta na quinta-feira (1) e tem 21 leitos; contará com 21 médicos ginecologistas obstetras, além de UCI neonatal (Foto: Marcio Koch/secom PMSP)
Na contramão dos investimentos na área de saúde infantil, que revelou que, nos últimos nove anos, o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, Santana de Parnaíba, inaugurou, nesta quinta-feira (1), a primeira maternidade municipal de Santana de Parnaíba. O evento contou com a presença do deputado estadual Marmo Cezar, pai do gestor. O levantamento foi divulgado recentemente pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). 

A maternidade já era esperada pela população há sete anos, desde a gestão anterior. A unidade, que funciona 24 horas por dia, tem 21 leitos e capacidade para atender de 150 a 200 partos por mês, tanto normais como cesárias. "Peguei essa obra só no bloco, e nós conseguimos concluí-la, criamos condições de orçamento para ter uma maternidade municipal própria. Estamos criando um equipamento para o futuro, onde as futuras gerações vão nascer, com um serviço de qualidade e excelência. A responsabilidade é grande", ressaltou o prefeito de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar, à Folha de Alphaville.

Localizada no bairro Campo da Vila, a maternidade funcionará ainda como Centro de Parto Normal, desenvolvida para atendimento humanizado, exclusiva ao parto de risco habitual. Contará com 21 médicos ginecologistas obstetras, 14 anestesistas, 14 neonatologistas, além de UCI neonatal com dois leitos.
A unidade faz parte do Complexo Hospitalar Municipal Santa Ana, que é formado pelo Pronto-Socorro Infantil, destinado para atendimento pediátrico de crianças de zero a até menores de 12 anos em situação de urgência ou emergência, e pelo Centro de Especialidades, ambos inaugurados no ano passado. Este último, que agora é chamado de AME, conta com 22 consultórios de atendimento e oferece 30 especialidades de exames.

Levantamento
O estudo da Sociedade Brasileira de Pediatria, que apontou a desativação dos leitos infantis no país, foi embasado com os dados do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantidos pelo Ministério da Saúde. Em maio de 2010, o país tinha 48,8 mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS), no mesmo período de 2019, o número baixou para cerca de 35 mil, queda de aproximadamente quatro leitos por dia. São Paulo foi o Estado que mais perdeu leitos de internação infantil entre 2010 e 2019. Neste intervalo de tempo, 1.583 leitos pediátricos foram desativados. 

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários: 1

X em Sexta, 02 Agosto 2019 11:27

Sete anos... E ainda querem vender essa história de "na contramão do país".

Sete anos... E ainda querem vender essa história de "na contramão do país".
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 20 Novembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário