De olho nos jogos de 2024, projeto em Barueri prepara iniciação paralímpica

Vôlei sentado será uma das modalidades abordadas na Iniciação Paralímpica (Foto: Karina Borges/Secom Barueri)
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência. Como forma de atender e incluir este público, na quarta-feira (27), a Prefeitura de Barueri, por meio da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, lançou o projeto de Iniciação Paralímpica, em parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro. 

O objetivo principal é capacitar profissionais de educação física da cidade para ampliar o atendimento e, consequentemente, descobrir novos talentos. Educadores que atuam nas Secretarias de Esporte, Educação, Mulher e dos Direitos da Pessoa com Deficiência receberão treinamento. 

"Barueri é a primeira cidade da região a fazer parte deste projeto. Acreditamos que a educação é a base de tudo, e temos que começar a incentivar o esporte desde a fase escolar para incluir e, quem sabe, encontrar atletas que serão de alto rendimento", destacou Naíse Pedrosa, vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), à Folha de Alphaville

"Queremos envolver mais pessoas, trazer novas técnicas, para que a gente possa atingir o objetivo que é não deixar ninguém de fora, para que todos nós sejamos iguais. Por meio do esporte é onde conseguimos mais sucesso na área da inclusão", afirmou o prefeito Rubens Furlan.

Cursos
O projeto, que começa a ser aplicado ainda este ano, será feito em três módulos: curso EAD "Movimento Paralímpico: fundamentos básicos do esporte", a aula presencial "Esporte Paralímpico na Escola: processos adaptativos" e o "modalidades". "Este último provavelmente será em maio e deverá ser composto pelos esportes golbol, bocha, vôlei e atletismo", disse Davi Farias Costa, coordenador de Educação Paralímpica Brasileira. 

Para Carlos Roberto da Silva, secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Barueri, com a capacitação, muda também o "olhar" na cidade. "Aumentará a possibilidade de descobrir novos talentos. Se não for para o alto rendimento, que seja para a qualidade de vida destas pessoas", avaliou Silva. 

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 11 Dezembro 2019

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário