Com 1.485 infectados, Barueri e Santana de Parnaíba não reabrirão comércio

Nesta segunda-feira (1/6) entrará em vigor o Plano São Paulo, uma nova medida, anunciada pelo governador de São Paulo João Doria na quarta-feira (27), que autoriza flexibilizações e aberturas econômicas progressivas, considerando as características de cada município. A decisão causou revolta entre os prefeitos da região.

Chamado de "retomada consciente", o plano tem cinco fases. Barueri e Santana de Parnaíba, que estão na Grande São Paulo, ficaram na fase um, de alerta máximo, em que apenas o comércio essencial segue funcionando. Já a capital foi enquadrada na fase dois, que permite a abertura de imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércios de rua e shoppings com restrições. 

Em meio à discussão sobre a retomada da economia, a Grande São Paulo registrou mais de 5 mil mortes pela Covid-19 e quase 70 mil casos da doença, nas vésperas do anúncio de Doria.

Nesta quinta-feira (28), o Estado de São Paulo registrou 95.865 casos confirmados pelo Covid-19 e 6.980 mortes. A taxa de isolamento social, segundo Sistema de Monitoramento Inteligente do governo, foi de 48% na quarta-feira (27). 

Em Barueri, de acordo com dados da prefeitura, o número de infectados pela doença chegou a 1.026 nesta quinta-feira (28) e os óbitos, 110. Já Santana de Parnaíba anotou 459 ocorrências positivas e 13 óbitos na quarta (27), dados mais recentes publicados.

O índice de isolamento nas cidades foi de 42% em Barueri e 50% em Parnaíba. Os dados são da quarta (27).

Especialista
O médico infectologista Fábio Junqueira acredita que a flexibilização neste momento pode resultar no aumento do número de casos, principalmente em São Paulo e na Grande São Paulo. 

"Como ainda estamos em uma curva crescente dos casos e mortes, talvez, o ideal seria esperar mais umas duas semanas para entender se este realmente é o momento certo para esta medida", destacou. 

Outras fases do Plano São Paulo

Além das fases um e dois, já explicadas acima, o Plano São Paulo é composto ainda por mais três fases. A etapa três (amarela), é de flexibilização, com a abertura de restaurantes, bares e similares ao ar livre e salões de beleza. Já a fase quatro (verde) permite o funcionamento de academias, também com restrições. 

Por fim, tem a fase cinco (azul) em que todos os setores voltam a funcionar com medidas de distanciamento e higiene. Segundo o Governo do Estado, uma região só poderá passar a uma reclassificação de etapa, com restrição menor ou maior, após 14 dias do faseamento inicial, mantendo os indicadores de saúde estáveis.

"Ela [flexibilização] será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras", afirmou Doria em coletiva de imprensa. 



Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários: 1

Elvis batista Ribeiro Bessa em Sexta, 29 Mai 2020 20:56

Essa porrah já está enchendo o saco
Não há necessidade disso,pai d família tem que trabalhar.
Enquanto isso esses merdas de governadores e prefeitos estão enchendo o cu de dinheiro,desviando e o caralho.
País de merda esse político corruptos do caralho
Seu vermes.

Essa porrah já está enchendo o saco Não há necessidade disso,pai d família tem que trabalhar. Enquanto isso esses merdas de governadores e prefeitos estão enchendo o cu de dinheiro,desviando e o caralho. País de merda esse político corruptos do caralho Seu vermes.
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 13 Julho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/

Siga a Folha

INFORME SEU ENDEREÇO DE E-MAIL:

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário