Domingo, 17 Janeiro 2021

Casa e Decoração

Dia Mundial dos Animais: arquitetos ensinam como adaptar a casa privilegiando o bem-estar dos pets

Casa & Decoração

Dia Mundial dos Animais: arquitetos ensinam como adaptar a casa privilegiando o bem-estar dos pets

Profissionais trazem dicas de como deixar o lar confortável para a vivência entre os bichinhos de estimação e seus donos 

Profissionais trazem dicas de como deixar o lar confortável para a vivência entre os bichinhos de estimação e seus donos. (Foto: DIvulgação)

Para celebrar o Dia Internacional dos Animais, comemorado neste domingo (4), um time de arquitetos resolveu compartilhar uma série de orientações para que os pais de pet adaptem a casa, oferecendo segurança e conforto aos bichinhos e aos tutores. Confira:

Bem-estar e saúde

No tema bem-estar, é preciso verificar se existe perigo para o seu pet no lar. Questões como o revestimento utilizado para o piso, até a altura do sofá e da cama devem ser analisados. "Um chão muito liso e escorregadio pode ocasionar doenças osteoarticulares ao cachorro", alerta Carina Dal Fabbro.

No tocante ao piso, o porcelanato e o vinílico são as opções imbatíveis em função da forma simplificada para limpar, sem contar que se tratam de materiais resistentes por não absorvem a urina do animal. "Ambos não deixem nada a dever, já que para a decoração nos oferecem infinitas possibilidades de acabamento. E além de ver o nosso lado sobre a estética e praticidade na casa, nunca podemos deixar de na saúde e no bem-estar deles", diz Júlia Guadix, da Liv'n Arquitetura.

Renan Altera, da Altera Arquitetura, compartilha um outro olhar bastante relevante. Segundo ele, é interessante observar se os acabamentos selecionados não evidenciarão os pelos, que invariavelmente, ficam soltos pelo chão da casa. Pensando nas paredes, a preferência é sempre pelas tintas laváveis na área reservada para os pets e, no caso do papel de parede, a prioridade é para as versões vinílicas.

Segurança

Para um cachorro adulto de grande porte, escadas podem não ser um grande problema. No entanto, quando se trata de cães com idade avançada de pequeno porte, a estrutura pode se tornar muito sério. "Enquanto os cachorros mais velhos são acometidos por problemas referentes à própria idade, os menores, mesmo jovens, podem desenvolver disfunções nas articulações devido à altura dos obstáculos serem desproporcionais ao tamanho do pet", reforça Júlia.

Neste caso, a indicação é produzir uma rampa sólida de madeira, revestida de borracha, para que o atrito permita ao animal a locomoção entre os diferentes andares. Também são indicadas rampas para subir e descer de camas e sofás, sem contar que os tapetes colaboram na movimentação mais segura. 

Newsletter
Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 17 Janeiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.folhadealphaville.com.br/